quarta-feira, 27 de junho de 2012

No inverno donos precisam proteger animais do frio

cachorro poodle frio agasalho inverno petrede No inverno donos precisam proteger animais do frio
Assim como os humanos, cães e gatos também sentem com a queda da temperatura. Para que eles fiquem bem protegidos e livres de doenças, é preciso tomar alguns cuidados especiais no inverno. “Os animais podem ficar resfriados se tomarem friagem, vento ou . Por isso, devemos mantê-los mais protegidos no inverno, podendo usar cobertas e até ”, afirma a veterinária Andréa Mutti.
Como no inverno os resfriados passam a ser mais comuns e o animais podem apresentar tosses e resfriados, Andréa alerta para a necessidade do acompanhamento de um veterinário. “Não devemos tratar os animais com humana e sim levá-los ao veterinário para tratamento adequado. Uma gripe maltratada pode evoluir para , como nas pessoas.”
A veterinária destaca que os donos contam com um aliado na hora de proteger os animais: a vacina contra a traqueobronquite infecciosa canina (ou tosse dos canis), que imuniza contra a Bordetella bronchiseptica, o da parainfluenza e o adenovírus 2. “A vacina é importante, mas não é obrigatória. A é altamente contagiosa por contato direto entre cães, principalmente em locais fechados como canis. Vacinam-se os animais com 3 meses de idade com 2 doses em intervalo de 15 dias e os adultos tomam uma dose anual. Para quem vai viajar e nunca vacinou seu cãozinho, recomenda-se aplicar a dose pelo menos uma semana antes da viagem”, diz Andréa.
Para a veterinária, os cães que estão acostumados a frequentar banho e tosa podem manter a rotina semanal ou quinzenal também no inverno. Já para os que tomam banho em casa, deve-se prestar na temperatura da água, que deve estar quentinha, mas não fervendo. “E sempre secar com secador, mesmo os de pelo curto, para evitar friagem. É preciso lembrar de sempre proteger os ouvidos do cão na hora do banho, evitando a entrada de água e possíveis ”, recomenda Andréa.
Para proteger ainda mais o animalzinho de estimação do frio, o mercado especializado oferece diversas opções de roupas e acessórios. “Na hora de comprar a roupa, o dono deve observar se o cão fica confortável, não pode apertar ou incomodar. E acima de tudo devem ser respeitadas as preferências individuais. Para decepção de alguns proprietários, muitos animais não aceitam ficar de roupa, por mais bonitinhas que sejam.”

COMO AJUDAR UM ANIMAL QUE FOI ENVENENADO!


Para envenenamento de animais, antídotos mais eficientes:

Carvão ativado misturado com água ou 1 comprimido, é já vendem em comprimido, funciona como diurético p/ eliminar substâncias tóxicas já absorvidas pelo organismo.

O carvão ativado atua absorvendo a substância tóxica e diminuindo a quantidade disponível para absorção pelo sistema digestivo. Os seus efeitos colaterais são mínimos. A substância tóxica retida nos poros do carvão ativado acaba por ser eliminada junto dele nas fezes.

OU
Se você não tem ou não conseguir ter acesso ao carvão:

♦Água oxigenada 10 vol. (1 colher de sopa), que em contato com o estômago vira água morna salgada e faz o animal vomitar e depois dar ATROVERAN (1 gota por kg de peso de 6 em 6 horas), que o melhor antídoto para venenos como 1080 e chumbinho.

Durmo onde eu quiser e ninguém tem nada a ver com isso!

Nesse clima de , chuvinha, friozinho… difícil sair da … mas os não tem esse problema, bateu o soninho, eles dormem, onde estiverem, confira…

Cães que latem muito podem estar com depressão, diz estudo

petrede agressivo Cães que latem muito podem estar com depressão, diz estudo
Tenha com o cachorro do seu vizinho, que não para de e sempre tenta lhe , porque ele pode sofrer de em vez de ser agressivo por . Essa é a conclusão de um feito pela Universidade de Zaragoza, na .
A pesquisa descobriu que os cães que apresentam mau comportamento tendem a ter níveis menores de no cérebro (substância relacionada a transtornos de humor, que tem a produção estimulada por medicamentos antidepressivos) e cortisol (hormônio ligado ao ) do que cães mais calmos e felizes. Em humanos, a queda de serotonina é normalmente conectada a problemas como depressão e , por exemplo.
Os autores do estudo analisaram amostras de sangue de 80 cachorros de dois hospitais veterinários após seus donos reclamarem que os animais eram agressivos. Os resultados foram comparados com amostras de sangue de 19 cachorros com o comportamento considerado “normal”. A pesquisa, que saiu na publicação científica Applied Animal Behaviour Science irá colaborar com o diagnóstico da depressão canina e facilitar a elaboração de novos tratamentos para problemas de agressividade, que poderão ser feitos à base de antidepressivos.

Dicas de como garantir o bem-estar dos bichanos

gato2 Dicas de como garantir o bem estar dos bichanosO bem-estar dos está diretamente relacionado à sua saúde física e mental
Considerados animais exigentes e inteligentes, os gatos necessitam de uma área específica para suas necessidades, observando sempre que esta deve ser afastada do local onde eles se alimentam. Além disso, os bichanos gostam de se locomover, de tomar sol e de brincar, ou seja, é fundamental que tenham um bom para se movimentar.
Outro ponto importante é o contato social. Se não for possível dedicar muito tempo do dia ao seu gatinho, a companhia de outros animais pode ajudar bastante quando o assunto é saúde emocional.
E, como não poderia deixar de ser, preste atenção à da alimentação do animal. Opte por que contenham – que auxiliam na manutenção das defesas do -, cálcio – para fortalecer os dentes -, carboidratos – para garantir mais – e, ainda, de alta qualidade para o fortalecimento dos músculos. A saúde de um gato se nota em sua aparência.
Por fim, para aliviar o e tornar a vida do seu gato mais alegre, ofereça a ele brinquedos como ratinhos de tecido e bolinhas, e um bom arranhador que, além de auxiliar na manutenção da e no alongamento do animal, vai garantir vida longa aos móveis da casa.

A maioria dos cães de estimação está acima do peso, segundo nova pesquisa

fat dog A maioria dos cães de estimação está acima do peso, segundo nova pesquisa
Segundo um novo , os cachorros de estimação estão cada vez mais . Os fatores de risco que fazem os cães serem mais propensos a ter excesso de peso incluem a falta de exercício, serem alimentados com sobras de e e ganharem muitos e guloseimas.
Os cães também são mais propensos a ter excesso de peso se os seus proprietários são pessoas de idade ou mais pobres, e ainda, se os seus proprietários também são .
Como em seres humanos, esse excesso de peso tem implicações na saúde, pois predispõe ou agrava uma série de condições clínicas, incluindo , e também diminui a longevidade, ou seja, a expectativa de vida.
De 700 cães analisados na pesquisa, 59% foram considerados demasiado gordos, sendo que 20% eram clinicamente obesos e 39% tinham apenas . Apenas um em cada 20 cães estava abaixo do peso.
Para o estudo, os realizaram detalhadas da quantidade de em diferentes partes do corpo de cada cão, que foram posteriormente encaixados em uma das sete categorias da pesquisa. Cães da categoria mais alta, “gravemente acima do peso”, tendiam a pesar pelo menos 15% mais do que o ideal para seu tamanho corporal.
Outros resultados mostraram que os animais alimentados com sobras de comida eram mais suscetíveis de serem classificados como obesos, e aqueles que recebiam lanches e guloseimas eram significativamente mais propensos a ter excesso de peso.
Isso pode estar relacionado à renda e à idade dos proprietários. Os proprietários mais velhos foram mais propensos a dar mais lanches e proprietários de renda mais baixa eram mais prováveis a ter cachorros obesos, por serem alimentados com restos de alimentos para humanos.
Os cães classificados como obesos se exercitavam bem menos por semana. O risco de um cão ser obeso caiu 4% para cada hora adicional de exercício que fez por semana.
A obesidade é uma febre. Uma série de estudos ao redor do mundo tem sugerido que não só os seres humanos, mas os cães estão ficando mais gordos. Não só na Grã-Bretanha, mas na França, 39% dos cães estão com sobrepeso, e na Austrália, 41% dos cães foram classificados com sobrepeso ou obesidade.

Cuidados especiais com seu gato no inverno

petrede gato com roupa de inverno frio Cuidados especiais com seu gato no inverno
O característico dessa época do ano é esperado com reforçada: aquecedores, casacos, , banhos quentes, etc. No entanto, não devemos esquecer que os animais também sofrem com as baixas temperaturas, especialmente os que ficam expostos ao vento e à chuva.
Se você tem gatos, pode não acreditar que, debaixo de todo aquele eles ainda podem sentir frio. Mas o fato é que esses seres, tão característicos por seu estilo independente, também precisam de cuidados especiais no inverno.
O principal é em relação às suas acomodações. Se os pets costumam dormir ao relento, é bom providenciar um espaço coberto e seco para que fiquem protegidos nesse . Se eles ficam sempre dentro de casa, mesmo assim esteja atento: o ideal é que os gatos tenham à disposição um local quente e aconchegante. Vale reforçar com um cobertor ou mesmo colocar no local uma bolsa de água quente nas noites mais frias.
A falta de cuidados simples como estes pode acarretar em e . Para nós, humanos, uma gripe é até fácil de tratar. No caso dos felinos, tosse, inflamações nos olhos, secreções nasais e espirros podem revelar o princípio de muito mais graves. Portanto, além de toda essa atenção durante o inverno, solicite também ao a aplicação de vacinas especiais contra a gripe felina. Afinal, é sempre a melhor decisão.

Animais de estimação também podem pegar doenças de inverno

cachorro pug agasalho frio inverno petrede Animais de estimação também podem pegar doenças de inverno
No mundo canino, ela é chamada de traqueobronquite infecciosa canina (ou tosse dos canis). É a doença de maior incidência nesta época do ano. Para gatos, o nome do perigo é rinotraqueíte. A transmissão se dá por via respiratória, sempre entre seres da mesma . O é simples, estruturado em analgésicos e anti-inflamatórios.
Atenção aos sintomas. Se o pet apresentar tosse seca, como se fosse engasgar, nariz escorrendo, ocular, falta de apetite e está quieto demais, provavelmente ele está gripado.
Gripe hoje não causa maiores preocupações. “Existem vacinas que protegem os bichos por um ano”, diz a veterinária Fernanda Dutra Nicacio, 24. A primeira imunização exige uma segunda aplicação, que é feita 21 dias depois da primeira dose.
Há dois anos, a gerente administrativa Ana Paula Quiñones, 26, viu suas duas cadelas ficarem gripadas ao mesmo . Luna, uma golden retriever, caiu doente dias depois que a pinscher Pepe apresentou os sintomas. “Percebi que algo estava errado quando ficaram quietas por dois dias e tossiam com frequência. O veterinário me explicou que elas deviam ter contraído o de cães que vivem soltos nos arredores”, conta. Vacinada, a dupla não teve mais gripe.
Campanhas de prevenção tentam atingir um público que ainda carece de informação, como o bancário Márcio Campanelli Moreira, 34. Suas duas cadelas bichon frisé, Daphne e Emily, não estão protegidas contra a gripe. “Eu nem sabia dessa vacina.”
Já levar os pets para passear no pode ser um drama. Ventos frios, chuva e poças d’água são fatores que fazem qualquer um repensar um passeio. “O uso de roupinhas é recomendado”, diz a veterinária. “O ideal é passear em lugares onde o contato com outros animais é zero e nos horários mais quentes do dia.”
Os pelos são a proteção natural dos animais e contribuem para que os bichos sintam menos os efeitos do . A bancária Mari Lídia Mattos, 43, teve de levar a lhasa apso Nina para tosar depois que seus pelos ficaram embaraçados. “Dias depois o chegou para valer e agora ela está sofrendo bastante, pois não gosta de usar roupinhas”, relata.
Para os animais, a tosa é uma questão de saúde. Mesmo com as baixas, deve ser feita como em qualquer outra estação do ano. “Há quem pense que colocar uma roupa resolve o problema depois de um corte rente ao corpo”, afirma o veterinário Marcelo Luiz, 39. “Deixar a veste por semanas resulta em embaraços, focos de bactérias.”
Tal conduta pode gerar . As roupinhas são aconselháveis, mas, antes de , as peças devem ser retiradas e o pelo do animal, escovado, para evitar que fique embaraçado.
Marcelo constata em seu pet shop, no Morumbi, que no inverno aumenta a opção pela tosa higiênica. “É a mais indicada. Além de acertar os pelos, ela garante a higienização de patas (unhas), ouvidos e genitais.” Outra opção é o corte com tesoura para quem aposta no visual típico das raças.
Verdades e mitos – Banho, sim ou não? “A frequência de banhos até aumenta no inverno”, diz a veterinária Cristiane de Brito, 26. O segredo é não deixar os pets molhados para evitar fungos. Cuidado na hora de secar. Os secadores para cabelos podem queimar a pele dos bichos. Nos pet shops, há equipamentos com jatos de ar quente e com pressão para retirar toda a água. Há a opção do banho seco, com sprays e lenços umedecidos.
Gripe humana x pets – Segundo o veterinário Marcelo Luiz, os vírus que esporadicamente deixam o planeta em alerta não representam ameaças aos pets: “Cães e gatos só são infectados por agentes contraídos de seres da mesma espécie”.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Cinomose – Um caminho sem volta?

pet rede cinomose Cinomose   Um caminho sem volta?Com a chegada do e do (parece redundante, mas com o planeta do jeito que está, nem sempre é sinônimo de …), também começam a aparecer os casos de cinomose. Sim, esse nome que é bastante conhecido entre proprietários e criadores de cães, assusta e ainda é motivo de preocupação.
Alguns dizem tratar-se da mais importante canina. Importante neste caso deve assumir um sentido preventivo e de extremo cuidado. A cinomose é uma que acomete principalmente cães ainda jovens e manifesta-se, após uma incubação média de quatro a sete dias, podendo logicamente variar.
Febre, tosse, secreção conjuntival, rinite purulenta, diarréia mucosanguinolenta, desidratação, indisposição, anorexia, vômito, dificuldade respiratória, hiperqueratose (coxins plantares e focinho), e até pústulas abdominais são os sintomas a serem verificados.
Os sintomas e as consequências ( e duração) dependem diretamente da virulência, dos órgãos afetados e obviamente do estado imunológico em que se encontra o animal infectado.
A doença pode manifestar também sua forma nervosa com os sintomas de meningoencefalia, sendo inclusve a causa mais comum de convulsões em animais com até 6 meses de vida.
Popularmente pode ser descrita e reconhecida pelos sintomas neurológicos que acabam causando movimentação involuntária (espasmos) da musculatura (mioclonia). Ainda hoje alguns referem-se a cinomose como doença que descadera animais ou aquela em que o animal fica mascando chiclete.
As infecções bacterianas, que na verdade causam a maioria dos sintomas acima mencionados, aparecem graças a predileção e dos danos causados pelo virus em determinadas áreas e órgãos dos animais infecctados.
Um dos fatores que considero determinante para a alta taxa de ocorrência da doença mesmo nos dias de hoje é sem dúvida a maneira como o vírus pode ser transmitido.
Um simples espirro de um animal contaminado pode dar início a uma em massa. O vírus é trasmitido por aerossóis e também por contato direto ou indireto com animais (secreções e gotículas) e seus fômites. É fácil entender porque muitas ninhadas inteiras ou animais de um mesmo canil ou loja são acometidos em grande número.
É muito importante a higienização do local e de tudo que possa ter sido contaminado quando da estadia de um cão nesse . A melhor opção é desfazer-se de tudo que for possível, e a constante do com produtos desinfetantes.
Falar em para a cinomose não é muito animador. As estatísticas são claras e não há como negar que depende muito mais do sistema imune do animal que propriamente de . Sempre será recomendado fluidoterapia e medicação para combater as infecções bacterianas, o que consideramos tratamento suporte. Há uma corrente que considera a Vitamina A como grande aliada desde que monitorada para evitar danos gástricos ao animal.
Claro que somos a favor da vida e todo animal infectado deverá receber sempre toda a e dedicação para combater essa virose da melhor maneira possível. Mas que fique registrado mais uma vez a famosa frase “Prevenir ainda é o melhor remédio”.
Há tempos as vacinas são a única forma de prevenção e posso afirmar categoricamente que se os cães são nossos melhores amigos, a vacinação contra viroses é a melhor amiga deles.
É um investimento que vale cada centavo e deve ser feito conforme preconizado pelo seu Médico Veterinário de confiança.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Homens e animais: uma história de amor e evolução

petrede menino e cachorro Homens e animais: uma história de amor e evoluçãoNosso amor por criaturinhas peludas pode ter influenciado a humana, tanto na forma como nossos ancestrais desenvolveram a quanto sobre outras da civilização.
Essa com os animais fez com que os humanos aprendessem a cuidar de criaturas diferentes deles mesmos, como explica a paleontóloga Pat Shipman, da Universidade de Penn State. “A animal percorre toda a humana e se conecta a outros grandes saltos evolutivos, incluindo a de ferramentas de pedra, a linguagem e a domesticação”, exemplifica Shipman.
Esse com os bichos também foi útil quando o homem aprendeu a aproveitar os animais como ferramentas e não apenas como alimento ou companheiros. Isso permitiu que as pessoas utilizassem as vantagens evolutivas de cães, gatos, cavalos e outros animais para si.
A peculiar dos humanos ainda persiste nas sociedades modernas. Em muitos países, as pessoas, hoje em dia, têm mais animais de estimação do que filhos.
“Você vê as pessoas sem-teto nas ruas com animais de estimação. Até mesmo pessoas em circunstâncias terríveis tendem a manter animais de estimação”, diz Shipman.
Os seres humanos podem ter começado a aperfeiçoar a ligação com os animais depois de terem passado, historicamente, de presas a caçadores. Essa mudança se deu a partir do desenvolvimento de ferramentas e armas para se defender, a partir de cerca de 2,6 milhões de anos atrás.
Em seguida, a necessidade de comunicar esse conhecimento sobre o comportamento de presas e predadores impulsionou o desenvolvimento de símbolos e linguagem, há quase 200 mil anos atrás, sugere Shipman. Para comprovar, Shipman cita as representações simbólicas de pinturas rupestres pré-históricos e outros trabalhos artísticos, que muitas vezes apresentam animais em uma boa quantidade de detalhes. Por outro lado, faltavam informações cruciais de sobrevivência como onde encontrar plantas alimentares e fontes de água ou como fazer fogos e abrigo.
O terceiro grande salto evolutivo ocorreu por volta de 40.000 anos atrás, quando os humanos começaram a domesticar os animais. A razão para isso, porém, não se restringe à simples obtenção de comida. “É preciso muito tempo para domesticar animais”, conta Shipman. “Fazer isso para conseguir comida é pura perda de tempo”.
Animais de estimação também fornecem de vaca para sustentar os bebês e adultos, bem como pele e lã para a confecção de vestuário. Eles também revolucionaram o transporte de cargas e do próprio ser humano.
Da próxima vez que você afagar seu cachorro ou encontrar uma vaca na fazenda, agradeça-os. Eles nos ajudaram, e muito, na nossa evolução, para chegarmos onde estamos.

Cuidados especiais com seu gato no inverno

petrede gato com roupa de inverno frio Cuidados especiais com seu gato no inverno
O frio característico dessa do ano é esperado com reforçada: aquecedores, casacos, , banhos quentes, etc. No entanto, não devemos esquecer que os animais também sofrem com as baixas , especialmente os que ficam expostos ao vento e à chuva.
Se você tem gatos, pode não acreditar que, debaixo de todo aquele eles ainda podem sentir frio. Mas o fato é que esses seres, tão característicos por seu estilo independente, também precisam de especiais no .
O principal risco é em relação às suas acomodações. Se os pets costumam dormir ao relento, é bom providenciar um espaço coberto e seco para que fiquem protegidos nesse período. Se eles ficam sempre dentro de casa, mesmo assim esteja atento: o ideal é que os gatos tenham à disposição um local quente e aconchegante. Vale reforçar com um cobertor ou mesmo colocar no local uma bolsa de água quente nas noites mais frias.
A falta de cuidados simples como estes pode acarretar em e . Para nós, humanos, uma gripe é até fácil de tratar. No caso dos felinos, tosse, inflamações nos olhos, secreções nasais e espirros podem revelar o princípio de muito mais graves. Portanto, além de toda essa atenção durante o inverno, solicite também ao veterinário a aplicação de vacinas especiais contra a gripe felina. Afinal, é sempre a melhor decisão.

domingo, 17 de junho de 2012

Woofstock: festival reúne mais de 300 mil donos de pet

Inspirado no famoso Woodstock, evento que tem competição de fantasia e show de talentos agita o Canadá


Remy, um Yorkshire terrier foi finalista no concurso de fantasias. - Picture: REX Remy, um Yorkshire terrier foi finalista no concurso de fantasias.
Crédito: Picture: REX
Mais de 300 mil donos de pets marcaram presença nos dois dias de Woffstosck, em Toronto, no Canadá, evento inspirado no consagrado Woodstock.
Descrito como “o verão do amor canino”, o festival começou em 2003 e se transformou no maior evento do gênero na região.
“Começamos pequenos em 2003, no bairro de Destillery District”, conta Marlene Cook, organizadora. “Queria transformar o festival em algo grandioso, que honrasse todos os donos. Só não imaginava que tomaria estas proporções”, explica.
Mais um participante pronto para arrasar no festival. - Picture: REX Mais um participante pronto para arrasar no festival.
Crédito: Picture: REX
No nono ano de evento, as principais atrações são o show de talentos e a competição de fantasias.
Cães vestindo chapéus, capas, óculos são a coqueluche do Woofstock. É lá também que se escolhe o participante de um reality show na TV.
Saia e muito estilo na passarela. - Picture: AP /The Canadian Press Saia e muito estilo na passarela.
Crédito: Picture: AP /The Canadian Press
Remy, um Yorkshire terrier, chamou a atenção ao caracterizar-se de motociclista, usando jaqueta de couro preta, capacete e outros apetrechos.
As fantasias vencedoras das edições anteriores foram de Bob Marley e Men In Black.

sábado, 16 de junho de 2012

O Dia Nacional de Adotar um Animal é um convite á reflexão e ação

Ao analisarmos a homem-animal ao longo da história da humanidade, percebe-se que muitos erros e atrocidades foram cometidos contra os animais, por falta de conhecimento, pela ganância ou em nome de tradições culturais. Os primeiros animais domesticados foram trazidos ao pelos colonizadores portugueses. Desde então, a relação homem-animal vem passando por profundas transformações. Para algumas espécies, como por exemplo, os cães e gatos, as mudanças foram marcantes.
nao compre adote adotar e tudo de bom O Dia Nacional de Adotar um Animal é um convite á reflexão e ação
No século passado, em 1929 no Congresso de Proteção Animal em Viena, Áustria, foi declarado o dia da morte de São Francisco de Assis, 4 de outubro, como o Dia Mundial do Animal, por ele ser tão generoso para com os animais. Em 27 de janeiro de 1978, a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) aprovou a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, da qual o Brasil é signatário. Embora a declaração dos animais siga a mesma trilha filosófica da dos Direitos do Homem, fica claro que estamos bem longe de uma equação justa, de e amor aos animais.
Décadas se passaram. Mesmo com alguns avanços na proteção aos animais, o artigo 2º – que versa que o homem, como também uma espécie animal, não pode exterminar outros animais ou explorá-los violando este , está longe de ser uma realidade. Nós temos que contextualizar, advertir e orientar que a situação atual dos animais na sociedade requer uma visão adequada aos novos tempos.
O direito de viver dignamente, sem dor e sofrimento, por estar abandonado, ainda está por vencer, por isto no dia 4 de outubro de 2000, foi criado o Dia Nacional de Adotar um Animal, que visa abordar o tema de uma forma mais adequada aos desafios do século XXI, agregando novos valores e reforçando a homenagem ao patrono da ecologia, São Francisco de Assis. Agregar valores é uma proposta de aprendizado, é sinônimo de fortalecer e evoluir.
A maior população canina do mundo reparte-se entre Estados Unidos, Japão e Brasil (32 milhões). Segundo dados da Associação de Produtos e Prestadores de Serviço ao Animal (Assofauna), 63% das famílias brasileiras das classes A e B adotaram animais de estimação como seus membros. Quando se trata da classe C, esse número sobe para 64%.
A cada dia, os animais domésticos conquistam mais espaço nas casas. Ao comemorarmos o Dia Nacional de Adotar um Animal, 4 de outubro, devemos defender estas inocentes , transmitindo as pessoas o que realmente acontece com os animais na atualidade, não nos prendendo, apenas ao passado distante, onde a concepção sobre a condição de vida dos animais era muito diferente. É preciso renovar os conceitos, promover a posse responsável e estimular o controle da natalidade, principalmente nos cães e gatos, o que no século passado não era incentivado.
A visão no século passado sobre os animais era outra, como podemos constatar no clássico da literatura infantil “Caçadas de Pedrinho”, que foi publicado pela primeira vez em 1933. A Academia Brasileira de Letras sugeriu que os responsáveis pela educação estimulem uma leitura crítica por parte dos alunos, pois a mensagem traz expressões que podem ser consideradas ofensivas aos animais.
Hoje, os cães e gatos são tratados como filhos, mas por outro lado, o abandono é uma triste realidade, muitos casos de maus-tratos acontecem frequentemente. Precisamos aproveitar para discutirmos os aspectos da busca da solução destes problemas e, agirmos, nesta data especial, 4 de outubro, Dia Nacional de Adotar um Animal, articulando atividades com o cotidiano das escolas, dos bairros, da cidades e do país.
Há necessidade de apresentarmos novas formas e atitudes para melhorar o relacionamento com os animais. São critérios do trabalho de conscientização:
- Promover a qualidade de vida dos animais;
- Adequar do conceito de posse ao novo século, ressaltando a responsabilidade;
- Estimular a ausência de preconceitos no momento da adoção.
Uma mobilização, como esta, aproxima pessoas de outros movimentos, as quais estão envolvidas com o exercício da cidadania, e passam a somar as suas ações. É um ciclo interligado de idéias e projetos que ganham força e inspiram as pessoas mostrando que é possível ajudar os animais a terem seus direitos reconhecidos.
Os animais não podem defender-se sozinhos no mundo de hoje e, muitos são os crimes a que são submetidos, como descaso e a crueldade. Por outro lado, é cada vez maior em todo o mundo o número de defensores dos animais. Cada uma a sua maneira, participa da defesa dos animais, muitas pessoas, inclusive com sacrifício de seus empregos, salários e família. Entre os defensores surgem os mais variados grupos, desde a dona de casa que procura um novo lar para algum cão abandonado; pessoas que os recolhem, tratam e os alimentam, até o profissional que se dedica a salvar vidas. Todos são fundamentais para o fortalecimento da causa dos animais.
Atualmente, há inúmeros países que facilitam a convivência com os animais. Os cães conquistaram o direito de entrarem em estabelecimentos e empresas, assim como em transportes públicos. Uma lei promulgada pelo governo suíço, estimula a posse responsável de animais e visa diminuir o abandono de cães nas ruas e em abrigos, ou seja, quem adquire um animal, além de registrá-lo, precisa fazer um curso que envolve teoria (necessidades e desejos dos animais) e prática (situações que podem acontecer durante um passeio com o animal, por exemplo). Isso porque, reconhecem, que cada vez mais, os animais representam um personagem definitivo no enredo das famílias, simbolizando a fidelidade e incondicional amor.
Aproveite esta data, Dia Nacional de Adotar um Animal, para refletir sobre as suas atitudes para com os animais, atualizar seus conhecimentos e, se possível, adote um animal, sua vida será muito mais alegre.
Eu sempre tive uma grande preocupação com o bem estar dos animais e, tento mostrar isto, por meio de ações na minha vida pessoal e profissional. Procuro estar envolvida com ações que são interligadas ao meio ambiente, defendendo os animais, por isto idealizei o Dia Nacional de Adotar um Animal.
Acredito que existe um caminho a ser seguido, que é o respeito a todas as formas de vida, onde é preciso saber harmonizar: as necessidades básicas dos animais, como abrigo e alimentação, ao direito ao carinho, liberdade e à vida digna.
O Dia Nacional de Adotar um Animal, comemorado no dia 4 de outubro, é um convite a esta reflexão e a ação. Participe !

terça-feira, 12 de junho de 2012

Roupas para cachorros pequenos




Quem ama o seu cachorrinho adora vê-lo todo cheio de estilo. E quem não se contenta apenas com os banhos e lacinhos do pet shop pode também colocar roupinhas nos cachorros e deixá-los cheios de personalidade. Alguns donos também colocam roupas nos cachorros pequenos para que eles fiquem mais quentinhos na temporada de frio e não sofram muito com as baixas temperaturas.
Existem opções para festas, para deixar o seu filhote super antenado a proposta de qualquer comemoração, roupas de passeio, coletes básicos, fantasias e até pijamas. Enfim, as alternativas de roupas para cachorros pequenos são muitas. Como normalmente as peças para animais de pequeno porte são mais baratas, você pode comprar várias e ir usando de acordo com a ocasião e a estação do ano.
Além das roupas, você também pode encontrar no mercado uma série de acessórios como sapatinho, lacinho, lenços, colares e até esmaltes. Se na sua cidade não existe uma loja que trabalhe com roupas para cachorros, você pode econtrar diversas opções para todos os gostos e portes na internet. Os preços das roupas para animais variam bastante, de acordo com os detalhes, o tecido, o formato e uma série de outros fatores, por isso você pode encontrar opções de todos os valores, indo normalmente de R$10 à R$200 a peça.
A vantagem de ter um cachorro pequeno é que existem muitas opções de roupas e acessórios da moda animal para comprar, já que normalmente são os cães menores que recebem tais mimos.
Vale lembrar que não é legal forçar o seu caozinho a nada, portanto se perceber que ele não se sente confortável vestido, é melhor desistir de colocar roupas nele. Procure respeitar o seu cachorro e ele sempre estará te dando alegrias. Veja algumas fotos e modelos de roupas para cachorros pequenos:








sexta-feira, 8 de junho de 2012

Moda Pet

Cães mostram tendências de inverno em passarela

 

 As novas tendências para o inverno na moda canina serão apresentadas neste sábado, 09, a partir das 17h no São Paulo Fashion Pet

 Segundo Eugênia Fonseca, coordenadora do desfile, a moda canina segue muito a tendência humana, e eles também usam estampas como xadres e oncinha

 Acessórios como cachecóis e sapatilhas também entram no figurino

 A principal diferença é que as coleções são apresentadas na própria estação, em vez de adiantar as tendências da temporada seguinte

 O evento é realizado no Pet Center Marginal desde 2005 e, neste ano, vai ter DJ, iluminação especial e fumaça

Serão 12 cães desfilando e a expectativa da organização é de que 200 pessoas e um número similar de cães prestigiem o evento

 Antes de subirem à passarela, os modelos vão dar um trato no visual. Entre as opções de tratamento, está uma escova tropical, com máscara de cupuaçu

Nos salões caninos, outra novidade é que máquinas de tosa estão dando lugar às tesouras, para um tratamento mais personalizado

Segundo o gerente do Pet Center, William Galharde, uma das tendências são as carinhas japonesas, que deixam pelos da lateral do 'rosto' bem curtinhos e orelhas mais compridas

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Botinhas para Inverno


Disponibilidade: Disponível
Prazo de Entrega: Imediata apos confirmaçao de pagamento.
Peso: 0,105 kg.
Fabricante: Chique de Doer
Por: R$ 25,00